”Quem começa a entender o amor, a explicá-lo, a qualificá-lo e quantificá-lo, já não está amando.” (Roberto Freire)

Quando tinha 13 anos, no auge da adolescência, nas descobertas das primeiras paixões, ganhei uma agenda e em uma das páginas, a do dia 01/12 para ser mais específica, no rodapé, tinha essa frase do Roberto Freire, frase que nunca mais saiu da minha cabeça e da minha gaveta de ”recordações” e hoje a vasculhando encontrei o pequeno papel amassado porém legível.

Aos 14 anos pensei: ”Absurdo! É lógico que o amor é explicável…”, eu, na minha humilde inocência acreditava que o amor era de exatas, porém poucos anos depois comecei a perceber que nenhuma conta matemática era capaz de explicar o amor. O amor é soma, é divisão, mas não precisa de fórmulas.

O amor não tem manual de instruções, não segue protocolos. Da mesma forma que um cara te odeia porque sua voz é irritante, outro o ama porque o que você fala, mesmo com sua voz irritante o cativa.

”Eu o amo pelas suas qualidades…” Mentira! Ninguém ama apenas pelas qualidades da outra pessoa, mesmo porque, se assim fosse não haveriam tantos simpáticos, educados e não fumantes solteiros.

Nós amamos por puro magnetismo, coisa inexplicável, Roberto Freire estava certo. Amamos o mistério que há no outro, amamos quando ele nos faz rir e quando nos faz chorar, amamos a maneira que ele ri ou que ele se estressa, sem motivo algum. Amamos o cheiro da camisa que ele esqueceu na nossa casa. Quem pode discordar? Não, você não pode. Porque você ama aquele insensível e irresponsável, o cara que não te atende quando você mais precisa falar com ele.

Você ama o verão e ele o inverno, você rock e ele sertanejo, você comédia e ele ação, não combinam em nada!? Não, vocês combinam em coisas importantíssimas como por exemplo, adoram comer as jujubas da padaria ao lado juntos, gostam de jogar vídeo-game e amam implicar um com o outro. O que é isso? Isso é amor.

Quem nunca amou o cafajeste? O galinha? O desleixado? Aqueles trastes que não tem a mínima vocação para ser o homem perfeito? Mas você o ama. Ama o sorriso, o toque, as piadas ridículas.

Seria muito mais fácil se fosse como sempre pensei, 1+1=2 e Eu simpática + Você lindo = amor. Mas não, só para contrariar o amor é ainda mais simples que 1+1, o amor acontece e basta.

dani_mendes

 

About The Author

Comments

One Response

  1. Vida

    Ninguém gosta das minhas qualidades mesmo. E dos meus defeitos menos ainda. 😛 Queria que a vida fosse fácil, mas se fosse fácil não teria graça. Então, que viva a dificuldade. 😉

    Responder

Leave a Reply

Your email address will not be published.